Para quem não está familiarizado, a assessoria de imprensa tradicional tem como foco a produção e divulgação de releases, para promover a inserção da marca em matérias e artigos em variados canais de comunicação.

Essa conquista de espaço de mídia de forma espontânea acontece devido ao estreitamento da relação entre os assessores das marcas e os repórteres. Ou seja, diferente da publicidade que, basicamente, resume-se à compra de um espaço para a divulgação, ao contratar o serviço de assessoria você não está investindo na divulgação da imagem da sua empresa através da compra de espaços publicitários.

follow up

Não é raro que a área de assessoria de imprensa receba pouca importância nos negócios. Porém, quando bem-feita, visando às mídias e os veículos corretos, ela pode aumentar a exposição da marca e gerar ótimos resultados.

Se você tem dúvidas sobre adotar essa estratégia para o seu negócio, a Millennial vai desmistificar algumas crenças e expectativas equivocadas sobre a Assessoria de Imprensa:

1 – “Não sei como funciona, mas disseram que eu preciso.”

Se você ainda não sabe sobre o que se trata, procure se informar. Faça uma seleção de agências, marque reuniões. Procure se informar sobre quais serviços o profissional pode te oferecer e como sua marca poderá se beneficiar disso. Não apenas contrate porque alguém disse que você deveria e depois espere resultados milagrosos imediatos. Manter uma boa relação com o seu assessor, estar disponível para a mídia, disponibilizar informações e dados sobre a sua empresa com clareza, quando necessário, será essencial para estreitar o relacionamento com a mídia e, consequentemente, conseguir mais inserções. 

2 – “Só os grandes veículos importam.”

Antes de sugerir a sua primeira pauta, é necessário estabelecer os veículos que serão abordados. E esses veículos vão depender da sua persona, seu consumidor ideal. A nível de conversão, é mais inteligente focar nas mídias especializadas, mais nichadas. Isso não quer dizer que os grandes veículos não serão abordados. Entretanto, talvez a importância que eles recebem no plano de metas e estratégias, deva ser revisada.

coletiva de imprensa

3 – “Sou muito pequeno para ter uma Assessoria”

Sabemos que os veículos de maior circulação e alcance mantém uma linha editorial que dá prioridade às notícias do dia a dia de grande parte da população nacional. Mas não podemos esquecer que existem diversas formas de falar com o seu público-alvo. Independentemente do tamanho do seu negócio, a mídia especializada é uma ótima alternativa e pode fazer toda a diferença na divulgação do seu negócio e na construção da sua marca.

4 – “Meu produto/serviço é referência na minha área, logo, meus resultados são garantidos.”

Não confunda assessoria de imprensa com compra de espaço editorial ou digital. Resultados não são garantidos. Principalmente, quando falamos em gestão de crises.

De maneira isolada, um produto ou serviço não são o suficiente para uma publicação. Sua marca deve se apresentar inserida no contexto do tema a ser abordado de forma relevante.

Além disso, a queda no número de jornais e revistas fez com que a guerra por espaços editoriais se tornasse ainda mais acirrada. Sendo assim, uma boa pauta precisa apresentar informações relevantes, ser atual e, principalmente, impactar o repórter de alguma forma, para convencê-lo a incluir sua marca na publicação.

5 – “Mandar vários releases por semana aumenta a chance de inserção.”

Como dito anteriormente, a pauta deve ser interessante, relevante e deve agregar valor ao leitor/espectador do veículo. Embora muitos pensem assim, a quantidade de pautas não é sinônimo de qualidade e nem de número de inserções. Muito pelo contrário, pode passar uma sensação de “desespero” de estar na mídia a qualquer custo e acabar manchando a imagem da sua empresa junto à mídia, o que dificultará o diálogo do seu assessor com os repórteres.

assessoria de imprensa

Agora que você já entende um pouco mais sobre Assessoria de Imprensa, lembre-se que ela não faz milagre se a sua marca não tiver um serviço ou produto interessante, original.

Se os valores, o diferencial e as metas não estiverem bem estruturadas,  será mais difícil se apresentar como uma marca relevante, que desperta o interesse da mídia. A concorrência é grande. Pense no que a sua marca tem que nenhuma outra tem. Pode ser um produto, serviço, modelo de gestão, de trabalho, uma percepção de mudança no mercado ou o surgimento de uma tendência no seu nicho. Enfim, algo que te possibilite se posicionar como referência. 

O ano de 2020 não foi nada fácil para muitos empreendimentos e para muitas famílias. Para muitos, foi um ano de perdas, estresse e ansiedade. O ano de 2021 iniciou com a promessa e a esperança da vacina, mas sabemos que ainda teremos um período de incertezas até que as coisas comecem a se estabilizarem, de fato.

O desafio é grande. Por isso, é necessário renovar a motivação, arregaçar as mangas e traçar novas estratégias para a sua marca.

A primeira delas é:

Conheça melhor os seus clientes

Mais do que estudar seu nicho ou sua persona, tente se aproximar mais de quem já está com você, quem já é seu cliente. Aproveite as ferramentas das redes sociais, como as caixas de perguntas nos stories.

É importante saber o que eles gostam no seu produto ou serviço, o que te diferencia da concorrência ou que pode ser melhorado. Além disso, as mídias sociais também são muito importantes para consolidar sua autoridade na sua área.

Conhecimento é poder

Estude! Essa dica também foi muito comentada no ano passado e continua sendo válida. É natural que o orçamento para investir na criação de novos produtos ou serviços esteja mais limitado. Sendo assim, o melhor a se fazer é investir em conhecimento.

Otimize processos burocráticos

Você precisa resolver questões no seu financeiro ou no seu método de organizar documentos e arquivos importantes do seu negócio, por exemplo? Essa é a hora. Otimize tudo o que puder.

Quando as vendas voltarem a crescer, você perderá menos tempo nesses processos.

Invista nas redes sociais da sua marca

Se não der para investir em campanhas e anúncios, invista tempo mesmo. Primeiro, é importante descobrir o canal que funciona melhor para o seu negócio e o seu público. É o Instagram? What’s App? Telegram? 

Esteja presente neles. Interaja com seu público e reforce sua presença.


Enfim, a ideia é fortalecer a sua marca em todos os campos. Se for preciso, reinvente-se, comece do zero, mas não fique parado.

Durante o período de isolamento social, você provavelmente se deparou com alguns vídeos do Tik Tok no Instagram e no Facebook, certo?

E é provável que você tenha pensado: “Mais uma rede social! Eu ainda nem dominei o instagram e já tenho que  aprender a mexer nesse Tik Tok

Mas será que você realmente precisa estar lá?

Do que se trata?

O Tik Tok é um aplicativo para exibição de vídeos curtos, entre 15 a 60 segundos. Possui uma série de recursos de edição, dublagem e filtros divertidos.

Em 2019, foi o terceiro programa mais baixado, ficando atrás apenas do What’s App e do Facebook Messenger, ultrapassando o Instagram e o Facebook.

Uma estratégia muito utilizada pelo aplicativo e que tem dado muito certo são os challenges, desafios criados pelos próprios usuários, e as dancinhas coreografadas. O objetivo é que o usuário crie vídeos com um tema ou música  específica.

Outro motivo para o sucesso do aplicativo foi a divulgação feita por celebridades e um sistema de monetização, que beneficia os usuários que conseguem levar mais tiktokers para a rede, através do uso de um código.

Mas a pergunta que não quer calar é: o Tik Tok é pra você? Vale a pena investir nesse aplicativo?

Para quem é o Tik Tok?

O fato é que o Tik Tok é relativamente recente, e seu foco é, principalmente entre os adolescentes, especificamente, a geração z, aqueles nascidos entre a segunda metade da década de 90 até o ano 2010.

Então, se esse é o seu público-alvo ou se você deseja expandir o seu mercado para esse público, criar um conteúdo diferente, divertido e engraçado no app pode ser uma ótima maneira de sair na frente da concorrência.

Se esse não for o seu caso, se o seu público não está no Tik Tok, é melhor se concentrar na rede de maior conexão com a sua audiência, do que estar presente nos dois, mas não engajar e não converter em nenhum.

Dê preferência para o que funciona para o seu negócio. Não entre na modinha só para marcar presença.

Já ouviu falar em millennials, mas não sabe do que se trata? Continue lendo esse post para entender um pouco mais sobre a geração que inspirou a Millennial Comunicação.

A princípio, dividir e classificar as gerações por nomes diferentes pode parecer algo sem importância. Mas entender o comportamento desses grupos pode ser fundamental, principalmente para o marketing. Já que é natural que, pessoas que nasceram em diferentes épocas da história apresentem pensamentos e posicionamentos diferentes. Além de formas de se comunicar e de consumir distintas.

Entendendo os millennials

Também conhecidos como a Geração Y ou Geração do Milênio, são considerados millennials os nascidos entre 1979 e 1993. Esse grupo sucede os baby-boomers e a geração x, por tanto, cresceram mais familiarizados com a internet e o universo digital. Ainda que, também sejam conhecidos com a geração da internet, os millennials cresceram no período de transição. Diferentemente de seus sucessores da geração Z, que já chegaram ao mundo completamente digitalizados.

Sendo assim, pode-se dizer que a geração dos milênicos, como também são conhecidos, encontra-se no meio termo entre o analógico e o digital, o on e o offline.

Os jovens adultos millennials são considerados a primeira geração verdadeiramente global, devido ao contato com a tecnologia desde cedo. Os integrantes da geração Y também são super conectados e ávidos usuários das redes sociais. Multitarefas e empreendedores em áreas inovadoras, os millennials tendem a ser mais resistentes à hierarquia no ambiente coorporativo. Por isso, muitas vezes, preferem trabalhar por conta própria para manter sua liberdade.  E não é errado dizer que dão mais importância a experiências do que a bens materiais.

Pequenas empresas, principalmente, quando estão no início de suas atividades, precisam adotar algumas medidas para aumentar a divulgação de seus serviços e conquistar mais clientes. Mas será que você sabe a melhor estratégia de comunicação para o seu negócio?

Confira esse post e descubra algumas dicas da Millennial Comunicação sobre comunicação estratégica para pequenas empresas.

Por onde começar?

Se você iniciou um negócio recentemente, já deve ter se perguntado o que fazer e por onde começar para aumentar a divulgação do seu empreendimento e conquistar mais clientes. Ou provavelmente, já se questionou como fazer isso com um orçamento curto.

Primeiramente, é preciso entender que a divulgação é o que possibilita que a sua marca chegue até clientes em potencial. Por tanto, sem uma estratégia de comunicação, sua empresa será facilmente passada para trás pela concorrência, antes mesmo de deslanchar.

Para que isso não aconteça, é importante investir em algumas dessas estratégias. Confira quais se encaixam mais com o perfil e o ramo da sua marca:

  • missão da marca bem definida;
  •  identidade visual atrativa;
  • banners físicos ou virtuais;
  • Facebook Ads;
  • Google Adwords;
  • redes sociais regularmente atualizadas;
  • gerar valor através do conteúdo divulgado nos canais de comunicação da empresa.

Lembre-se que no caso de pequenas empresas, o foco da divulgação deve estar na conversão.

Você já utiliza algumas dessas estratégias? Quais?
Fique ligado no blog para mais dicas como essa e muito mais!

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
Categorias