5 expectativas/crenças erradas sobre Assessoria de Imprensa

Para quem não está familiarizado, a assessoria de imprensa tradicional tem como foco a produção e divulgação de releases, para promover a inserção da marca em matérias e artigos em variados canais de comunicação.

Essa conquista de espaço de mídia de forma espontânea acontece devido ao estreitamento da relação entre os assessores das marcas e os repórteres. Ou seja, diferente da publicidade que, basicamente, resume-se à compra de um espaço para a divulgação, ao contratar o serviço de assessoria você não está investindo na divulgação da imagem da sua empresa através da compra de espaços publicitários.

follow up

Não é raro que a área de assessoria de imprensa receba pouca importância nos negócios. Porém, quando bem-feita, visando às mídias e os veículos corretos, ela pode aumentar a exposição da marca e gerar ótimos resultados.

Se você tem dúvidas sobre adotar essa estratégia para o seu negócio, a Millennial vai desmistificar algumas crenças e expectativas equivocadas sobre a Assessoria de Imprensa:

1 – “Não sei como funciona, mas disseram que eu preciso.”

Se você ainda não sabe sobre o que se trata, procure se informar. Faça uma seleção de agências, marque reuniões. Procure se informar sobre quais serviços o profissional pode te oferecer e como sua marca poderá se beneficiar disso. Não apenas contrate porque alguém disse que você deveria e depois espere resultados milagrosos imediatos. Manter uma boa relação com o seu assessor, estar disponível para a mídia, disponibilizar informações e dados sobre a sua empresa com clareza, quando necessário, será essencial para estreitar o relacionamento com a mídia e, consequentemente, conseguir mais inserções. 

2 – “Só os grandes veículos importam.”

Antes de sugerir a sua primeira pauta, é necessário estabelecer os veículos que serão abordados. E esses veículos vão depender da sua persona, seu consumidor ideal. A nível de conversão, é mais inteligente focar nas mídias especializadas, mais nichadas. Isso não quer dizer que os grandes veículos não serão abordados. Entretanto, talvez a importância que eles recebem no plano de metas e estratégias, deva ser revisada.

coletiva de imprensa

3 – “Sou muito pequeno para ter uma Assessoria”

Sabemos que os veículos de maior circulação e alcance mantém uma linha editorial que dá prioridade às notícias do dia a dia de grande parte da população nacional. Mas não podemos esquecer que existem diversas formas de falar com o seu público-alvo. Independentemente do tamanho do seu negócio, a mídia especializada é uma ótima alternativa e pode fazer toda a diferença na divulgação do seu negócio e na construção da sua marca.

4 – “Meu produto/serviço é referência na minha área, logo, meus resultados são garantidos.”

Não confunda assessoria de imprensa com compra de espaço editorial ou digital. Resultados não são garantidos. Principalmente, quando falamos em gestão de crises.

De maneira isolada, um produto ou serviço não são o suficiente para uma publicação. Sua marca deve se apresentar inserida no contexto do tema a ser abordado de forma relevante.

Além disso, a queda no número de jornais e revistas fez com que a guerra por espaços editoriais se tornasse ainda mais acirrada. Sendo assim, uma boa pauta precisa apresentar informações relevantes, ser atual e, principalmente, impactar o repórter de alguma forma, para convencê-lo a incluir sua marca na publicação.

5 – “Mandar vários releases por semana aumenta a chance de inserção.”

Como dito anteriormente, a pauta deve ser interessante, relevante e deve agregar valor ao leitor/espectador do veículo. Embora muitos pensem assim, a quantidade de pautas não é sinônimo de qualidade e nem de número de inserções. Muito pelo contrário, pode passar uma sensação de “desespero” de estar na mídia a qualquer custo e acabar manchando a imagem da sua empresa junto à mídia, o que dificultará o diálogo do seu assessor com os repórteres.

assessoria de imprensa

Agora que você já entende um pouco mais sobre Assessoria de Imprensa, lembre-se que ela não faz milagre se a sua marca não tiver um serviço ou produto interessante, original.

Se os valores, o diferencial e as metas não estiverem bem estruturadas,  será mais difícil se apresentar como uma marca relevante, que desperta o interesse da mídia. A concorrência é grande. Pense no que a sua marca tem que nenhuma outra tem. Pode ser um produto, serviço, modelo de gestão, de trabalho, uma percepção de mudança no mercado ou o surgimento de uma tendência no seu nicho. Enfim, algo que te possibilite se posicionar como referência. 

Leave a Reply

Your email address will not be published.